Publicado por: lucasvmbs | 10 de dezembro de 2010

Três vidas

Esses tempos me dei conta de que um ser humano que constitui família e morre na terceira idade, ao longo de sua existência possuiu três vidas. São três momentos bem distintos, onde a vida da pessoa muda totalmente.

Sim, não sou nenhum gênio. Não é à toa que chamam a velhice de TERCEIRA idade. Não estou descobrindo a roda. Mas o que quero dizer é que essas três fases são talvez muito mais distintas uma das outras do que imaginamos.

Tá, a nossa primeira vida é a infância, essa é fácil. E os motivos são óbvios: nossas percepções de mundo são outras, nossa cabeça é outra, vivemos em meio a descobertas constantes, e até mesmo nossa noção de tempo é diferenciada. Há inclusive um estudo provando que o tempo na infância passa mais devagar, e existem motivos para isso. Mas não vem ao caso.

Enfim, é bem fácil aceitar que nossa infância era outra vida. Éramos outras pessoas. Até nossos pais eram outras pessoas, sob nossa ótica. Ao olhar para o Lucas-criança eu vejo algo muito distante. Não parece que era eu. Não me lembro de quase nada, não consigo mais sentir coisas que sentia na época. Enfim, é outra vida.

A segunda vida é a maior delas. É a que liga as duas pontas. Começa na adolescência e vai até o princípio da velhice. É toda a fase de adulto, onde mais coisas acontecem em nossa vida toda. Essa fase não tem muito mistério: é o que recheia a biografia de qualquer mortal. Onde as coisas acontecem.

Bom, aí vem a terceira vida. Foi motivado por ela que resolvi escrever isso. Esse último pedaço da vida da maioria das pessoas não tem nada a ver com perda de lucidez. Não estou falando dos casos em que o idoso fica gagá e passa a viver em outra dimensão, assumindo literalmente uma nova (e terceira) vida. Não. Essa terceira fase vale pra qualquer pessoa de idade avançada que tenha constituído família. Explicarei.

Esses tempos eu estava na casa da minha vó e me dei conta de algo assustador. A casa estava cheia. Além da vó, lá estavam seus netos, filhos, noras e genros. Essa é a família da minha vó. As pessoas mais próximas que ela tem no mundo. Me dei conta de que todas essas pessoas que hoje são a família dela NÃO EXISTEM AINDA NA MINHA VIDA. O que eu tenho hoje como família, minha vó não tem mais. Ela não tem mais pai, nem mãe, tampouco avós, nem marido, nada. Só alguns irmãos, que moram cada um numa cidade.

A minha vó já está na terceira vida. Com novas pessoas, novas perspectivas, tudo novo. Aquilo que nós da segunda etapa temos como referência de família, onde buscamos amparo e com quem vamos comemorar nosso aniversário, vai começar a sumir gradativamente. Provavelmente sendo substituídos por figurinhas novas que irão surgindo. Quando a maioria desse time tiver sido substituído, seja bem-vindo: você está na terceira vida.

 

 

Aquele abraço.

Anúncios

Responses

  1. Olha o que o cara do flamengo do GLOBOESPORTE disse do gremio!!!!!!!!!

    http://globoesporte.globo.com/platb/arthurmuhlenberg/

    chamou de GAYMO!!!!

    chamou o Rio grande do Sul de URUGUAI DO NORTE!!!!

    HUMILHOU O GREMIO!!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: